5 de mai de 2012

theo e vincent

finalmente, finalmente! 


meados de 1887, theo por fim resolve aceitar o irmão como ele é. 


pois claro que uma relação tão tensa, com tantas brigas, não era unilateral. theo assumia o papel de apoiador, claro, mas de censor, azucrinador, o tempo todo - nada que vincent fazia jamais estava bom - e afinal tinha sido theo que insistira para vincent "virar artista" - mas queria apenas cenas de gênero e paisagens coloridas e agradáveis à vista que pudesse vender na galeria onde trabalhava. 


quando vincent se mudou para paris, theo morria de vergonha dele, nunca saíam juntos, theo nunca apresentava nenhum amigo ou conhecido ao irmão, pois se sentia constrangido com os modos de vincent. depois de uns rolos e confusões, cai um raio na cabeça de theo e decide por fim deixar de ser o cricri de plantão: é a época muito interessante em que realmente pode haver uma proximidade real entre eles, não só cobranças, censuras, críticas de um lado, protestos, chantagens e chiliques do outro.